Central de Atendimento:
  • (31) 3079.3478
  • (31) 3079.3479
  • (31) 3079.3480
  • (31) 3079.3481
2ª a 6ª de 7h as 19h Sábado de 8h as 13h15
  • A
  • A
  • A-
  • A
  • A+

Síndrome dos Ovários Policísticos pode causar infertilidade

10 de Julho de 2018 às 16h40

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um desequilíbrio hormonal que ocorre na mulher, ocasionando alteração da ovulação e do ciclo menstrual. É a alteração hormonal mais comum em mulheres na idade fértil, acometendo cerca de 7 a 20% dessas.

A causa da SOP ainda não é totalmente esclarecida. Alguns estudos apontam para uma possível causa genética e outros, correlacionam a presença da síndrome dos ovários policísticos com uma maior resistência do organismo à ação da insulina, gerando um aumento desse hormônio no sangue, o que levaria a uma alteração dos hormônios na mulher.

É uma doença caracterizada por um conjunto de sinais e sintomas. As mulheres podem apresentar irregularidade menstrual, ausência de menstruação, aumento dos níveis dos hormônios masculinos (testosterona), o que leva a uma maior oleosidade da pele e do cabelo, com queda de cabelo (alopecia), além do aparecimento de acne e aumento dos pelos, principalmente em áreas do corpo que não são características das mulheres, como em face, mamas e abdome. Ao ultrassom os ovários se mostram aumentados de volume, com a presença de vários folículos (leigamente chamados de cistos). 

A irregularidade menstrual ocorre porque há uma ausência ou diminuição da frequência da ovulação. As pacientes podem ter uma maior dificuldade para engravidar, tornando-se inférteis. “A longo prazo, se não houver um controle adequado, com perda de peso, atividade física e dieta adequada, essas pacientes com SOP estão mais predispostas a desenvolverem doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade”, explica a ginecologista do Centro de Reprodução Humana Mater Dei, Ana Márcia Cota.

O diagnóstico da síndrome dos ovários policísticos é baseado na história clínica da paciente, histórico do seu ciclo menstrual, dosagens hormonais no sangue e realização do ultrassom do útero e dos ovários.  A ginecologista enfatiza que é importante que se pesquise outras alterações hormonais que também podem levar a quadros de irregularidade menstrual, como alterações da tireoide, prolactina e da glândula suprarrenal.

tratamento da SOP depende do sintoma e da queixa da mulher. Se a presença dos ovários policísticos estiver associada à obesidade, sempre a primeira linha no tratamento será as mudanças do hábito de vida. Uma dieta balanceada, atividade física e perda de peso poderá restaurar o ciclo menstrual com retorno à ovulação. 

“Os usos de contraceptivos hormonais serão úteis para mulheres com queixa de irregularidade menstrual, acne, aumento dos pelos ou queda de cabelo e que necessitem de um método contraceptivo. Caso a queixa da mulher seja a infertilidade, pode ser necessário o uso de medicamentos para a indução da ovulação”, ressalta Ana Márcia Cota. 

Os usos desses indutores da ovulação devem ser prescritos e acompanhados por um ginecologista para diminuir os riscos de gestações múltiplas (gêmeos, trigêmeos, etc.) e outras complicações como a hiperestimulação exagerada dos ovários. Em alguns casos, o uso de medicamentos que controlem a ação da insulina, como a metformina, também pode ser benéfico.

 

Fonte: Hospital Mater Dei