Central de Atendimento:
  • (31) 3079.3478
  • (31) 3079.3479
  • (31) 3079.3480
  • (31) 3079.3481
2ª a 6ª de 7h as 19h Sábado de 8h as 13h15
  • A
  • A
  • A-
  • A
  • A+

Saiba por que o recomendado é o álcool 70%

23 de Abril de 2020 às 21h00
 

Para a prevenção do contágio com o Coronavirus, as autoridades nacionais e internacionais de Saúde, como a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o Conselho Federal de Química (CFQ), o Ministério da Saúde do Brasil (MS) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmam que, o álcool 70% é o recomendado para desinfetar as mãos, embora a lavagem com água e sabão, quando oportuno, é o mais indicado.

Isso tem comprovação científica por meio de estudos e pesquisas realizadas ao longo de décadas, desde o início do século XX.

O álcool é um microbicida com características anti-séptica e desinfetante. Porém, sua atividade antimicrobiana está condicionada à sua concentração em peso ou em volume, em relação à água.

Na concentração de 70%, o produto tem a quantidade exata de água para facilitar a entrada do álcool no interior do microorganismo, seja bactéria, fungo ou vírus, como o Coronavirus. Isso porque a água, além de impedir a desidratação da parede celular externa do microorganismo, retarda a evaporação do álcool permitindo maior tempo de contato para que haja a penetração do álcool no interior do microorganismo, resultando na sua destruição.

A fórmula em gel tem duas características que a qualificam como mais indicadas para a higienização das mãos. A primeira é pela segurança, no caso de um acidente, por não espalhar rápido como o líquido, evitando assim o risco de incêndio. A segunda é por ter um item hidratante na sua composição, ajudando a prevenir o ressecamento da pele.

Os alcoóis com concentração superior a 70%, sem a água ou com água em baixas proporções, desidratam o microrganismo sem matá-lo. É o caso, por exemplo, dos concentrados em 99,6% (absoluto) ou o 92,8%, utilizado como composição em fórmulas cosméticas ou solvente de outros produtos. São ineficazes no combate ao Coronavirus porque evaporam com extrema rapidez.

A mesma ineficácia se diz sobre o álcool de posto, o etanol combustível, que tem concentração acima de 90%. Além do que já foi descrito acima, esse álcool pode ter a presença de outras substâncias, como metanol e hidrocarbonetos, bastante tóxicos, podendo causar irritação na pele e olhos, e até outras consequências mais graves, como a cegueira.

Por sua vez, os alcoóis com concentração inferior a 70% também são ineficazes porque não têm poder de eliminar microorganismos, como o Coronavirus. Servem apenas para limpeza em geral, eliminando a sujidade como pó e poeira.

Fonte: Secretaria de Saúde de MG